skip to Main Content

Levantamento aponta que o recorde histórico atingiu cinco mil documentos produzidos em 2023 contra 3.251 em 2022

O número de pessoas que formalizaram provas de ataque de bullying e cyberbullying no Rio aumentou em 50%. A informação é do Colégio Notarial do Brasil (CNB-RJ). 

O levantamento aponta que o recorde histórico atingiu cinco mil documentos produzidos em 2023 contra 3.251 em 2022. Na análise da entidade, a marca reforça uma preocupação crescente dos fluminenses em buscar documentar fatos do mundo virtual e utilizá-los como prova em tribunais.

Ainda de acordo com a pesquisa, a Ata Notarial , documento comprobatório da prática de delitos cometidos na internet, pode ter papel fundamental na eficácia da recém-sancionada lei federal que incluiu o bullying e o cyberbullying no Código Penal e elevou a pena desses crimes contra crianças e adolescentes.  

O diretor do Colégio Notarial do Brasil pelo Rio de Janeiro, Eduardo Silva, afirma que os casos estão cada vez mais frequentes e reforça a importância da Ata Notarial para esses episódios.

O levantamento mostrou ainda um crescimento contínuo da busca por este ato nos Cartórios de Notas. Em 2007, data inicial da série histórica, foram solicitadas 981 atas em todo o estado. Já em 2020 foram 2.148 documentos emitidos, chegando a 2.928 em 2021 e cinco mil em 2023. 

Fonte: Band

Back To Top