skip to Main Content

Que você já conhece a Escola de Escreventes+ do CNB/SP, que é parceiro do CNB/RJ, a gente já sabe. Agora, o projeto vem para listar algumas dicas e características indispensáveis para quem deseja se tornar um escrevente de cartório em tabelionato de notas.

Foco e organização

Se você já é um escrevente cartorário sabe muito bem a importância da organização. Ser organizado faz parte de praticamente todos os processos que realiza no dia a dia, com documentos e responsabilidades que precisam estar em ordem. Além disso, é necessário foco para realizar as tarefas com segurança.

Estipular prazos pode ajudar bastante na conquista das metas.

Atendimento ao público

O escrevente é um profissional que lida diretamente com pessoas, clientes, com o público. A prestação de um bom atendimento faz toda diferença quando se lida com pessoas, pois elas podem sair falando bem ou falando muito mal da serventia, o que pode gerar uma onda de reclamações que poderão impactar na imagem do cartório.

Saber se relacionar com o público é importante, assim como com os colegas de equipe.

Trabalhar a empatia pode ser um caminho bastante interessante. Quando você desenvolve a habilidade de se colocar no lugar do outro, fica muito mais fácil, e até natural, manter um comportamento agradável no ambiente de trabalho.

Além disso, uma pessoa empática tem a capacidade de entender melhor o que os clientes estão passando e do que precisam. O atendimento flui melhor, com mais eficiência, garantindo a satisfação do público.

Comunicação (assertiva)

É essencial, nos dias de hoje, saber se comunicar bem. Saber expressar de forma clara e objetiva o que se quer. Quando todas as informações ficam claras para o público, o trabalho ganha mais agilidade e atrasos, bem como outros transtornos, são evitados.

A mesma coisa vale para a comunicação com os colegas. Se a equipe não possui uma boa comunicação, a probabilidade de erros aumenta, o ambiente torna-se desagradável e tudo isso pode travar a produtividade.

Estar aberto a mudanças

Estar aberto a mudanças e a renovação de conhecimento também está no escopo de quem trabalha com serviços extrajudiciais. Hoje, cartórios são um dos lugares que mais aderiram à transformação digital e tecnológica, e não apenas porque isso aumenta a eficiência dos processos, mas porque se tornou praticamente obrigatório para dar continuidade às atividades.

Existem inúmeros softwares e ferramentas especializadas em atender às serventias e que tornam a rotina do escrevente muito mais funcional.

Além dessa atualização, mudanças estratégicas para otimizar os processos são constantes em uma serventia. Por isso, se esse profissional quiser crescer, NÃO pode ser resistente a novas formas de se trabalhar. Isso pode parecer óbvio, mas o ser humano é imensamente resistente a mudanças, mesmo quando são benéficas. Portanto, sair da zona de conforto é um desafio. Para começar a vencê-lo, podemos passar para o próximo tópico.

Inteligência Emocional

Ter inteligência emocional é saber manter a calma, o autocontrole, entender e respeitar as pessoas que têm contato com você. Tudo isso para lidar com os momentos de crise com objetividade.

Existem muitas técnicas mentais e comportamentais que você pode aprender, treinar e aplicar no seu dia a dia. Tenha paciência com você mesmo nesse processo que, no começo pode ser difícil, mas que vai valer a pena.

Atualização é obrigatória

Ter atualização permanente é outro aspecto importantíssimo para quem deseja seguir na carreira. Além de se informar constantemente, é aconselhável que procure cursos que abordem tais atualizações, com professores especialistas e renomados na área em questão.

Fonte: Assessoria Colégio Notarial do Brasil – seção Rio de Janeiro

Back To Top