skip to Main Content

A casa localizada na Rua Professor Gabizo, 97, na Tijuca, Rio de Janeiro, é um marco significativo na história literária e cultural do Brasil. Monteiro Lobato, um dos mais importantes e influentes escritores brasileiros, viveu nesta residência durante um período crucial de sua carreira, contribuindo para a consolidação de sua obra e sua posição como um dos maiores nomes da literatura infantil no país.

A Tijuca, bairro tradicional e conhecido por suas ruas arborizadas e atmosfera residencial, serviu como um refúgio inspirador para Lobato. Durante sua estadia na casa da Rua Professor Gabizo, ele deu continuidade ao seu trabalho literário, escrevendo algumas das histórias que compõem o icônico universo do Sítio do Picapau Amarelo. As aventuras de personagens como Emília, Narizinho, Pedrinho e Dona Benta, que encantaram e continuam a encantar gerações de leitores, foram em parte gestadas nesse endereço.

A casa em si, com sua arquitetura característica do início do século XX, guarda a memória de um tempo em que a criatividade de Lobato floresceu de maneira singular. Embora o edifício tenha passado por transformações ao longo dos anos, o local mantém um valor simbólico inestimável para os admiradores da obra do escritor e para a história cultural do Brasil.

Monteiro Lobato era mais do que apenas um escritor; ele era também um crítico social e um empreendedor cultural. Durante seu tempo na Tijuca, ele não apenas escreveu, mas também participou ativamente do cenário cultural e intelectual da época, influenciando debates sobre educação, política e sociedade. Sua casa na Rua Professor Gabizo tornou-se, portanto, um ponto de convergência de ideias e discussões, refletindo a mente inquieta e visionária de seu morador ilustre.

Hoje, a casa de Monteiro Lobato na Tijuca é um testemunho silencioso de um capítulo vital da história literária brasileira. Ela simboliza um período de intensa produção criativa e de impacto duradouro na cultura nacional. Preservar e valorizar este patrimônio é essencial para manter viva a memória de um dos escritores mais queridos e influentes do Brasil, cuja obra continua a inspirar e educar novas gerações de leitores.

Tombado pelo Instituto Rio Patrimônio da Humanidade (IRPH), o sobrado foi tema de matéria do Jornal Extra em 2021, que abordou, entre outros imóveis que abrigaram famílias de personalidades brasileiras icônicas, as más condições do imóvel.

O influencer dono do perfil “Tá na História” também chegou a produzir conteúdos sobre o casarão.

O Registro de Imóveis responsável pela documentação dos prédios e sobrados localizados na Rua Professor Gabizo, é o 11º Ofício de Registro de Imóveis, localizado no centro do Rio, na Rua Sete de Setembro, nº 32, 4º Andar – Centro.

O cartório foi fundado no dia 22 de maio de 1941, com o nome de Cartório 11º Ofício de Registro de Imóveis e depois passou a se chamar Serviço Registral do 11º Ofício de Imóveis. Tem como oficial titular Maria Esther Wanderley Silva, nomeada em 2008.

Fonte: Assessoria de comunicação – CNB/RJ

Back To Top